Amor Platônico

Que saudade dos amores de adolescência que duravam pouco mas pareciam para sempre. Nossa, uma dor amor que quando se sentia parecia que ia morrer. Ai a gente se dá conta que os anos passaram, que continuamos vivos e com a vida corrida esquecemos de todos os amores, fossem eles platônicos ou não. Os príncipes encantados ficaram nos contos de fadas.

Até que, nos encontramos com o passado e novamente dá aquele frio na barriga e a pessoa faz você perder o fôlego. Ai você concentra no seu grilo falante interno “ vocês são somente amigos”.

Começa dar uma angustia e os encontros viram frequentes. Você faz uma esforço para não voltar a sonhar com príncipe encantado e cavalo branco e largar a sua vida estável.

“Me apaixonei do mesmo jeito que alguém cai no sono: gradativamente e de repente, de uma hora para outra” (John Green – A Culpa é das estrelas)

Ao te encontrar, logo percebi que você seria importante. Ficaria vulnerável, com a guarda baixa e permitindo que os caminhos para o meu coração estivessem livres. Fui ingênua ao ponto de achar que tivesse tempo para recuar.

Alguém me pergunta: quando surgiu isso tudo? Sei la, pra falar a verdade nem dava muita atenção. E não sei também quando você se tornou o meu último pensamento. E nem qual o motivo pelo qual estar se tornando um personagem dos meus textos.

amor snoopy

Totalmente desesperançosa, você chega. E é engraçado e ao mesmo tempo gostoso quando o coração acelera e a cabeça fica nas nuvens.

Ai você começa a querer brincar de conquistar, e se quer o outros de todos os jeitos, sem motivos e sem razão. Se lá, se temos algo a ver. Me apaixonei pelo seu sorriso, sua voz, cheiro …silêncio.

Querem saber o nome dele? Amor platônico.

Ele não é nada bonitinho. E todo mundo acha que só se vive esse sentimento na adolescência. Pior que ele pode aparecer em todas as faixas de idade. Basta a gente começar um processo de admiração ao ponto de colocar a pessoa amada em um pedestal, idolatrando e sonhando. Ai, você entra em um ciclo sem encarrar os desafios da vida real. Ilusões são criadas que ficam próximas da realidade.

Isso é um relato de quem já viveu alguns e não se dava conta. Me interessei muito por pessoas inalcançáveis e com certeza, dizia pra mim mesma que não podia estar em outra relação quando algum pretendente real queria uma relação.

Motivo de tamanha loucura? No meu caso….simplesmente para não ter uma relação real. Proteção para não sofrer e/ou viver intensamente a minha liberdade. A quem diga que é a melhor maneira de dar tempo ao tempo.

Mas isso tudo tinha que acabar, ser descartado porque não completa. O mundo real existe com possibilidades infinitas. Não é dura e nem cruel, é apenas real. É bom colocar os pés no chão e encarar a felicidade.

O cupido está errando o endereço? Investe e ajuda com GPS. As vezes pode não dar frio na barriga, não ter sorriso derretido, mas as relações reais seguem de alguma forma.

Temos o hábito de vincularmos nossos sentimentos às expectativas que temos do outro. O outro, está do lado de fora e não nos pertence, as relações são construídas a partir da troca.

P.S: Love u

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s