Cores

As cores têm uma forte influência na vida e personalidade das pessoas e, não tem jeito, a moda primavera/ verão está estampada nas lojas e com uma cartela de cores maravilhosa.

Cor precisa de luz, por isso esteja radiante para não se sentir sufocada com as suas escolhas. É comum sentirmos bem com determinadas cores, sendo assim, não fique desconfortável e escolha cores leves e descontraídas para passar pela estação fogo.

É importante sempre pensar no ambiente que você estará desfilando. Cor representa o nosso estado de espírito, por isso pode atuar de forma benéfica ou não.

4-13

Frida Kahlo  pintora mexicana do século XX. Usou e abusou de cores fortes e vivas.

Eu vejo cores em você: A cromoterapia é a ciência que estuda as cores e sua ação energética como um meio terapêutico. Ela utiliza a frequência luminosa para conseguir equilibrar a saúde física, mental e espritual.

Mas falando do “ Fashion Color”, a cada temporada temos algumas tendências que podem até seguir para próxima. Entretanto, cores são um caso a parte e os tons acabam seguindo de acordo com a estação.

Não é novidade que o verão pede uma cartela bem colorida e nesta temporada não será diferente. Teremos uma sinergia das cores. Tons aerados, iluminados, brilhantes e até explosivos. Claro, que quem quer fugir dessa explosão de cores tem sempre o preto e branco como curinga. Eles sempre têm muita força, por serem cores democráticas e versáteis.

Pra quem é antenada, os 10 Pantones incríveis desta estação:

pantone-fashion-color-report-primavera-verao-2017-cores

1. A primeira cor da paleta de cores da Pantone é o azul Niagara, é o clássico denim. Com isso, jeans estará em alta.
2. Primrose Yellow é solar, alegre e vibrante, promete ser uma das cores queridinhas da estação.
3. Lapis Blue escuro e vibrante, podendo formar composições que fogem do óbvio.
4. A quarta cor é hot – vermelho Flame. Fica ótimo em peles bronzeadas.
5. O Island Paradise é relaxante. Para combinações charmosas e românticas.
6. Pale Dogwood um tom mais neutro, mas se combinada com uma cor vibrante, por exemplo, a produção pode ser ainda mais charmosa e atrativa.
7. Greenery é um verde bem vivo, fica ótimo em morenas e loiras.
8. Pink Yarrow é a cor do verão 2018! É um tom de rosa vibrante e intenso.
9. O Kale é um verde que traz uma pegada militar, um oliva meio couve, vem para trazer um toque de elegância.
10.Hazelnut é um bege avelã, uma cor super curinga que vai combinar com todas as outras.

Não podemos esquecer dos tons metálicos, o famoso “furta-cor” volta com tudo e é uma grande aposta para o verão 2018.

Ouse, faça combinações e divirta-se

Vaidade Feminina

O que é a vaidade feminina? Começamos na adolescência a nos sentir mal com a nossa aparência, queremos nascer de novo, melhorar alguma coisa. Raras são as meninas satisfeitas com a sua beleza.

Olhando para trás, temos mulheres que se apertavam em espartilhos para terem uma cintura fina. As chinesas precisavam ter pés pequenos, por isso, ainda crianças, enfaixavam seus pés a ponto de deforma-los.

Com todos esses traumas e históricos, é perfeitamente compreendido porque na fase adulta a autoestima não melhora. Acho que piora. Mulher entra na faca para aumentar ou diminuir seios, retirar gordura do corpo, e existem aquelas que fazem de tudo para terem lábios mais volumosos. Todo esse sacrifício em prol da beleza.

A maldita da mídia acaba com qualquer uma. Diariamente somos impactadas por beldades com elevado padrão estético. Há muito tempo, mulheres magricelas, sem quadril, desfilam nas passarelas. Até que Gisele Bundchen apareceu com seu padrão princesa e gostosa e esse virou o corpo ideal para as brasileiras. Mas não pensem que anorexia e bulimia saíram do mundo fashion e que não influenciam.

6286383313_03050fa2cb_b

Barbie – Lançada em 1959. A boneca mais vendida do mundo simboliza o padrão de beleza ideal.

Ai, você fica pensando: Se eu não me encaixar, serei excluída e humilhada. O difícil é aceitar a diversidade da beleza.

E pior, toda essa obsessão pela beleza ideal perdura mesmo depois de tantas conquistas que as mulheres obtiveram.

Pergunto: o que está certo afinal? Passar a vida fazendo regime ou aceitar estar “fora do padrão”? Será que vale a pena se torturar tentando ter aquela imagem de ser perfeita ?

Mulherada, já é tão complicado lidarmos com os nossos altos e baixos – um dia calmaria e no outro tempestade. Vivemos em uma sociedade muito machista ( falo não só dos homens, mas mulheres também). Usar vestido, roupa colada, short… ainda são motivos para ganharmos aquele elogio maaaaravilhoso “ gostosa” ( AFF). Somos assediadas constantemente por caras imbecis que se acham no direito de nos atormentar, mesmo que não tenha dado nenhuma abertura. Se transamos na primeira vez, somos rotuladas de vagabunda.

E ainda sim, arrumamos tempo para investir na beleza ideal, mesmo que seja sofrida/dolorida para algumas. Nessa corrida pela perfeição, já passei por momentos bastante incômodos.

Fui muito a salão com referência de cabelo das atrizes do momento, o que me custava um corte deplorável. Fiz mecha no cabelo ( sozinha) com água oxigenada e óbvio, sem o menor traquejo, tornei meu cabelo cenoura e lá fui eu correndo pelas ruas atrás de um tonalizante.

E aquele instrumento de tortura, curvex? Prefiro não comentar. Depilação, é uma das maiores preocupações. São15/30 minutos que parecem horas de sofrimento. E eu ainda tenho um trauma de depilação de sobrancelha que me custou um lado defeituoso e ai parti para pinça para sofrer mais.

Eu acredito que o grande barato é investir em você mesma, não pra seguir um padrão, mas pra ter qualidade de vida, autoestima e saúde. Sonho com o momento que deixaremos de ser o sexo frágil e padrão bonequinha. Quero poder sair sem ter que seguir nada e sem preocupação do julgamento alheio.

Unha?? Nem imagino o quanto já investi ?

Vaidade sim, mas sem isso se tornar um problema. Reconheça o limite da ditadura da beleza. Sou adepta a dieta, malhação, estética corporal e salão, mas dentro de um padrão saudável e sempre atenda às armadilhas consumistas, e escravidão estética.

Dica de massagem: Luline Estética – R. Des. Izidro, 28 – Tijuca. Falar com a Renata ou Amanda. Não vão se arrepender. 

O indispensável é sentir -se bem.

Reinventar

Faz um bom tempo que não escrevo sobre moda. Acabei focando nas minhas experiências de vida em assuntos que me vêm a cabeça ao observar o cotidiano de amigos. Além disso, a maré não está para peixe e confesso que tenho deixado de lado visitas às lojas, feiras, shopping…o consumo.

E cá entre nós, olhando meu armário, deu para perceber que de fato passei um bom tempo consumindo roupas que nem precisava ou, que de fato , não queria tanto. Não me importei por várias vezes na frequência do uso. E sempre que tinha um evento, abria meu armário e pensava “ não tenho roupa!!!” e corria para o shopping.Metropolis

A fase agora é economizar e reiventar o guarda roupa, investir em moda colaborativa e pensar em sustentabilidade.

Mãos à obra. Tire todas as suas roupas do armário, experimente. Pense em como customizar algumas. O que não servir, pense em um serviço de aluguel de roupas por um período determinado. Vamos repensar os hábitos de consumo!! Além de ser uma alternativa econômica é mais consciente.db0726c49979ad9e22cc81e4025bbd6b

Falando em conscientização, já pararam para pensar nas condições que foram feitas as roupas que compramos? Pensar no impacto ambiental?

Momento de reflexão, quantas marcas já utilizaram ou utilizam mão de obra barata para serviço em grande escala em condições precárias? Fora, aquelas marcas que de fato estão comprometidas com o meio ambiente, quais reutilizam materiais recicláveis nas suas roupas? Ou que até reutilizam tecidos de peças em estoque em outros produtos?who-made

Acho que repensar todas as questões acima são importantes para um consumo de forma eficiente. Mas não vale “ostentar” o combate ao consumo exagerado e fingir que aderiu a moda colaborativa apenas para ser cool.

Li há pouco tempo sobre a BLIMO que é conhecida como o Netflix de roupas. Ou seja, você paga uma valor fixo por mês e pode usar o acervo de roupas durante um prazo de até 10 dias. Não precisa esperar até o final do período para entregar e resgatar a próxima. Mas a peça devolvida precisa estar lavada. Achei uma ideia maravilhosa !

Sem falar na moda dos coworking que nasceu nos Estados Unidos – espaço físico compartilhado entre profissionais de diversas áreas. Aqui no Rio de Janeiro tem a MALHA.

É isso, está na hora da moda consciente ser consumida – em termos sociais, ambientais e de qualidade. Consumidores conscientes buscam produtos com mais significados – desejo por menos e por coisas melhores.

ftc-consumoconsciente-slowfashion-fashion-revolution-05
E para finalizar, as roupas sustentáveis são mais caras, porque são produzidas de forma artesanal. E fiquem certos de que quem produz recebe muito mais por cada peça do que trabalhadores que produzem em grande escala.

Pensem nisso !! Elegância e criatividade consciente.

Ressaca Moral

O julgamento moral é um problema ! Ele nasce dentro de cada um. Começamos na nossa adolescência a internalizar figuras, preocupações, agradar aos demais e nem sempre conseguimos esquecer coisas e avançar para um próximo estágio. Pronto, desenvolvemos nosso próprio conceito de moralidade.

E tem momentos que paramos, começamos a refletir sobre certas atitudes, tentamos adotar novos modelos de comportamento e nem sempre conseguimos. O desejo de acertar é tão grande que parece ser fácil fazer diferente. Mas não é, porque tudo é um simples ato de vontade.

Prometemos a nós mesmos fazer diferente e subestimamos a força das nossas fraquezas. E é normal a tentativa de afrontar a nossa moralidade, enfrentar os nosso limites. E não pensem que a famosa ressaca moral aparece somente quando ingerimos álcool em excesso e ficamos mais relaxados e liberamos desejos inconscientes.

O dia seguinte chega pra todo mundo quando nos arrependemos. E cada um encontra o seu jeito de se sentir culpado e com vergonha. E isso tem a ver com se importar muito com a opinião dos outros e recear que nossos atos não tenham sido aprovados.

Já consciente de que seu telhado moral é completamente de vidro, se pergunte o motivo pelo qual fez isso. E ao de invés cair num abismo, encontre mecanismos que o faça não ter vergonha das suas atitudes do dia anterior.

Converse com seus amigos. Não existem melhores pessoas que serão solidários em levantar o seu astral. Pense bastante e analise a consequência dos seus atos e veja se há motivos para se preocupar. Se magoou alguém, pense na melhor forma de pedir desculpas. Caso não tenha ocorrido nada, bola pra frente!

Enfrente tudo com humor e não fique remoendo os acontecimentos.

E se nenhuma das opções ajudarem, apele para um bom banho quente e dormir. Ainda não inventaram nada melhor.

E caso a sua ressaca tenha sido provocado pelo álcool, não tenha dúvidas, o julgamento virá acompanhado de ressaca física – dor de cabeça, boca seca e mal estar. Com isso, além das dicas acima, beba bastante água.

13266780_267769130241650_2116446219_n

Rê Bordosa – personagem de quadrinhos criada pelo cartunista Angeli. Uma velha junkie, usuária constante de bebidas, cigarros e drogas que normalmente não lembra o que fez embriagada. 

E acreditem, a ressaca moral é saudável. O arrependimento é um sinal interno de que não estamos prontos ou não é para ultrapassarmos os limites. Com a cabeça no lugar, pense que as atitudes desagradáveis não podem ser repetidas.

Sei que não é fácil abandonar o vazio interior quando estamos a sós com o travesseiro. Às vezes a vida fica trash. Mas tem que ter persistência para se levantar e nem sempre é com um novo acontecimento que se supera.

Prometa a si mesmo virar budista, crente ou macumbeira….mesmo que seja momentâneo, até a próxima ressaca.