Divas Urbanas

É do conhecimento de todos que existe uma superioridade populacional de mulheres em todo o país. E no Rio, essa diferença é ainda maior. Ou seja, trazendo essa realidade para o dia a dia, no transporte público quem manda somos nós. E porque não ser DIVA no ônibus, BRT, metrô, trem, barcas…?? Não precisa ser rica, ter status social mas sim, respeitar o próximo e se comportar como tal. Uma convivência tranquila torna qualquer ambiente um paraíso.

Então DIVAS URBANAS, vamos ser cortês?

* Entendo que é frustrante chegar no ponto do transporte e ele já estar lotado às 7 horas da manhã. Dá aquela sensação de desespero e que todo mundo vai correr e temos que nos transformar em verdadeiros gladiadores. Mas empurrar não é a melhor solução e ” com licença ” é sempre de bom grado. Esteja preparada para esse momento com fone de ouvido com a sua melhor playlist e, ao passar pelo motorista/trocador, sorria e não custa falar bom dia.

* Os bancos preferenciais, mesmo com transporte lotado, é de uso exclusivo para pessoas de idade, grávida ou deficientes. Ou seja, se estiver no lugar reservado à eles esteja prontamente disponível para ceder o lugar. Essa dica, eu nem precisava divulgar. E se estiver presenciando esse abuso, não arrume confusão, ceda o seu lugar. É uma forma de mostrar boas maneiras.

* Se estiver sentada, pratique o ato de cidadania e ofereça para segurar os pertences daquele que estiver em pé.

* Só fique parado na porta e roleta se for para utilizar ambas as opções. De outra forma, é inevitável: estará bloqueando a passagem. E claro, no corredor de qualquer transporte é sempre importante estar atento para não obstruir a passagem e acabar prejudicando os demais.

* Na primeira dica falei sobre o fone de ouvido. É proibido ouvir sons alto dentro dos transportes públicos. Isso inclui falar alto ao telefone.

* AJUDE QUEM ESTIVER PRECISANDO ! Nós divas do transporte, já cansamos de ouvir casos de mulheres que são abusadas e pessoas que sofreram discriminação. Se estiver presenciando algo incomum, não tenha medo e ampare a vítima com a sua ajuda.

19975187-jpg-c_300_300_x-f_jpg-q_x-xxyxx

A Dama do Lotação a quarta maior bilheteria da história do cinema brasileiro, com 6.5 milhões de espectadores

* É sempre bom lembrar uma norma social importante quando se trata de compartilhar um espaço: cuspir no chão, embolar pacotinhos de biscoito e colocar no canto do banco, jogar copos e latinhas no chão não são de bom tom. E JAMAIS JOGUE LIXO PELA JANELA.

GENTILEZA GERA GENTILEZA. E uma diva nunca dificulta a vida de ninguém e está sempre impecável para o trabalho. No geral:

* Sapatos alinhados para o trabalho. Não precisa ser um Louboutin. Mas é importante uma apresentação limpa e sem estar danificada.
* Cabelos devidamente cortados, limpos e penteados. Isso é sinônimo de higiene.
* Roupas limpas e comportadas literalmente dão uma imagem positiva. E para aqueles que trabalham com o público é uma exigência.

Mas nem todas as empresas são cheias de regras e formalidades. Com isso, em alguns ambientes corporativos são mais livres. Mas isso não quer dizer que não se deve ter cuidados ma hora de escolher uma roupa. Tem que prevalecer o bom-senso e não se trata de estar na moda. Vale lembrar, que conforto para acesso ao transporte público é tudo e além disso, na área corporativa as roupas falam pela gente.

Para evitar trajes inadequados é importante conhecer seu tipo físico. Não é preciso um traje neutro e abuse dos coringas e acessórios:

* Uma boa calça jeans e uma de alfaiataria no armário sempre é uma boa pedida para uma imagem mais formal. Uma calça mais justa muda completamente a proposta.
* Acessórios poderosos fazem toda a diferença para um look mais clássico.
* Blazer faz uma grande diferença para aqueles que querem ter uma boa imagem no trabalho. Mas isso não quer dizer, que as divas precisam usar um número menor ao ponto de dificultar os movimentos.
* No calor, não é preciso estar nua. Vestidos fluidos e camisetas de manga curta ou alcinhas têm passe livre no trabalho. E para pegar carona nesta estação, aposte em cores mais clarinhas ou estampas discretas.

Obs: Bom Carnaval !!

Papo Reto

Cansei de ouvir as minhas amigas contarem sobre os egos dos seus carinhas e, claro, ouvir meu pobre coração magoado que, seguindo a regra, também inflou o ego de algum boboca. Tá na hora de falar a verdade, enfrentar e superar as dificuldades.

Primeiro, papo reto:

Ok, não é nada fácil reconhecer que não conseguimos nos relacionar apesar de termos muitas coisas em comum. Mas como diria a Cris, uma amiga de faculdade “Gatan ( tem que ser pelo nariz) !!!” Sabemos desde cedo onde estamos pisando e onde a história vai dar. Não existe aquele velho jogo clichê “ignora, que ele vai sentir falta e só vai valorizar quando perder “ – só em filme ( listinha com alguns clichês românticos do cinema).

E agora, tenho novidade:

Sabe os bonitinhos? Eles mesmo…nos testam e a todo o momento. Por quê? Poder de sedução e o quanto podem se proveitar, controlar, até onde pode ou não pode ir? Ou seja, pasmem. Mas eles olham as mensagens, as ligações e não atendem propositalmente. Somem para ver qual a nossa reação. Curtem, comentam no facebook de uma hora para outra. Só assim, eles vão conseguir medir o grau da sua paixonite. Se você não der sinal de vida, estão no mesmo nível – às cegas.

E quando são grosseiros e ansiosos? Pensem !!! É como se fosse um bebê chorando. Se você recuar, ponto para eles. Mas se você virar as costas ele vai entender o que é limite e nunca mais vai ultrapassar a barreira imaginária.

Vamos meninas, coragem para dar cartão vermelho. Não adianta, quem se importa, dá um jeito. É perda de tempo passar uma vida tentando mostrar para ele que está errado para fazê-lo mudar. Difícil ser diferente, uma mulher que é dona das suas atitudes e sabe muito bem o que quer, sabe que é desta forma que a banda toca. O que ela sente pode até ser forte, mas se for a hora de partir….é adeus.

Podemos elencar adjetivos para o homem para culpá-los pelo fracasso da relação. Mas vamos combinar, que toda a história sempre começa com a nossa disponibilidade/dedicação para tudo e ele fugindo de assuntos densos. O tempo vai passando e começam as exigências, mas sem expressar abertamente tudo. Aí vem o choro dela, mas o desejo parece que é infinito e ela se torna compassiva.

Suspiro “ homens…”

Como deixamos? Acreditamos nas histórias de “felizes para sempre”, “ amor eterno” e qualquer outra premissa em um relacionamento.

A única dúvida é: MENTIU PRA QUE? Pura vaidade? infantilidade? Mas a grande maioria das mulheres se apaixonam e não é de graça: quando se vê, alguém veio chegando, ganhando seu respeito, carinho e a tão famosa tolerância. E a partir do último estágio, não somos mais direta ao ponto de expor o que realmente queremos e o que precisa ser mudado na relação.

Sinceridade deveria ser tudo, mas o que criamos são expectativas e não evitamos as frustrações. É notório, o hábito da dedicação de colocarmos seus interesses, desejos e necessidades em primeiro lugar. Somos capazes de abrir mão de qualquer coisa para satisfazer o amado, mesmo sem ser correspondido.

E o que ganhamos? Homens mais e mais egoístas, orgulhosos ao extremo, de uma irresponsabilidade tamanha com o próximo.

“Boys magia”, chegou a hora de parar com o jogo da sedução quando não existe um real sentimento. Nós mulheres acabamos atraídas por diferentes aspectos e desenvolvemos a arte das desculpas. Nossos possíveis príncipes encantados são seguros o suficiente, às vezes se fazem de atenciosos e generosos. Passam a impressão de bondosos mas são verdadeiros caras de pau. E depois de terem lançado a “teia”, dominado a situação e conquistado o troféu sedução, o camarada perde o interesse e nos restam os delírios.

Não vamos generalizar, cada homem tem sua característica e a sua essência de um Don Juan ( Leiam o livro da Mônica Martellie vejam a série  Os homens são de Marte e prá lá que eu vou) . O que se aborda aqui é ato de magoar o outro e de graça. Meninos, mesmo que tenham certeza que estarão presos a saudade dela pra sempre, acredite que o grande barato é estar junto, por isso é importante valorizar.

Morar dentro de uma abraço faz sentir aquela quentura. Mas se está satisfeito em dormir sozinho, não a deixe, tentando feito boba, esticar os segundos de vocês juntos, descobrir quantos lindos sorrisos tem, provocar com olhares. Ou assuma a sua responsabilidade e arque com seu compromisso – CORAGEM – toda decisão tem a sua consequência. Faça como Sr. Darcy em Orgulho e Preconceito, largue o orgulho, o pensamento machista e preconceito e vá a luta.

O que não pega bem é essa irresponsabilidade, essa inércia. Vai lá e confesse que você não pára de pensar nela. Diga que fica linda quando está brava. Mas tem que ser agora.
Não dá mais para perder tempo. Agora é a nossa vez de ter juízo e ditar o ritmo disso tudo. E se a paixão veio de graça, ela vai embora mais fácil. Só se ilude quem quer se deixar iludir.

E pra finalizar, o que isso tudo tem a ver com moda? Tudo. Moda é estado de espírito ou seja, ela que “determina sua auto-estima e vice-versa” ( Cris Guerra).

Simone de Beauvoir

Parafraseando Simone de Beauvoir “Não se nasce homem: torna-se”. 


 
Romances que valem uma pipoca a dois:

* Cantando na Chuva – Musical mais famoso;
* E o Vento Levou – o famoso romance entre Scarlett O’Hara e Rhett Butler;
* Romeu e Julienta, despensa comentários…..
* Bonequinha de Luxo – Audrey Hepburn é Holly Golightly, uma sofisticada garota da sociedade que se apaixona por Paul, um escritor em crise;
* Dirty Dancing – “ Ninguém coloca a Baby de canto” – frase do personagem de Patrick Swayze;
* Uma linda mulher com a Julia Roberts e Richard Gere;

* Sintonia de amor – Primeiro encontro marcado em NY com Tom Hanks e Megan Ryan ;
* Lendas da Paixão – prepare o lencinho e chore com Brad Pitt;
* De repente é amor com gato Ashtor Kutcher;
* De repente 30 – pra mim, tem uma linda trila sonora;
* A casa do Lago para chorar de emoção com a Sandra Bullock e Keanu Reaves;
* Amor de outras drogas – casal liiiiindoooo com Jake Gyllenhaal e Anne Hathaway;
* Sexo sem compromisso com Ashtor Kutcher e a fofa da Natalie Portman;
* ONE DAY – É O MEU PREFERIDO ( por isso em caixa alta e bold) – Jim Sturgess e Anne Hathaway – melhores amigos que demoram a entender que um é o grande amor da vida do outro;
e muitos, muitos outros.

Histórias de Samurai

O lado “ bom” de estar desempregado, mas mantendo o bom humor, é constatar que realmente as redes sociais são uma grande diversão. Não temos como escapar porque os contatos estão lá….ai sim, você começa a falar de fato com todo mundo que está na sua rede de “ amigos”.

E esse contato traz boas lembranças. Comecei a viajar em cada papo e claro, “ amizade” virou inspiração. Nestes quase 40 anos, tive o privilégio de conviver com muita gente bacana, queridos e amigos verdadeiros. Tive algumas decepções que marcaram o coração e não teve jeito: foram rompidas. Mas é assim mesmo, nem todo mundo está dentro dos padrões que determinamos, mesmo que inconscientemente.

Pra mim os amigos de verdade têm que fazer a gente ser feliz, choramingam de vez em quando junto, mas dão força para seguir em frente quando precisamos e pedem para parar quando estamos desnecessários. E são aqueles que respeitam a construção de novas amizades.

E não existe desculpa para não acessar essa galera, que ajudou na construção da sua vida. A tecnologia tá ai, permitindo a socialização all time e com isso, podemos dar um HELLO para uma amizade que damos importância, mas que está em um país distante. A vida muda e o nosso rumo é de altos e baixos. E amizade exige dedicação, esforço para manter viva e nem sempre é necessário um olhar para que outro perceba o que está rolando.

E neste mangá, porque a história deverá ser contada de trás pra frente, eu acredito, que amizade é algo que se aprende na escola – um Godzilla, o monstro mais conhecido no mundo, a personificação do medo quando se tem apenas 2 aninhos é uma menina manhosa. Mas foi neste ambiente sem nenhuma aparência de réptil e tão pouco de dinossauro que fiz a minha primeira amizade Hello Kitty – pasmem, NÃO é uma gatinha e sim uma caricatura de uma amiga. E juntas mudamos de colégio, onde de dupla passamos a ser trio e depois grupo.

Colégio Batista Sheppard , onde passei toda a minha infância, fazendo grandes descobertas – brincadeira de menino e menina, esporte, primeiro namorado, bailinho, notas baixas e a reprovação de um ano letivo.

Ai, resolvi mudar. Mudei de colégio para passar a fase desesperadora de pai e mãe – adolescência. Novas amizades que vieram a ser Changeman – Esquadrão Relâmpago e defensores do planeta terra, descobri o primeiro porre, muitas festinhas, festivais de música, conversas intermináveis, fase das best friends forever, cola, trabalho de grupo, gargalhadas durante a aula, guerrinha de bolinha de papel. Acordar cedo para ir ao colégio virou a melhor coisa do mundo.

E sim, foi a fase que eu me apaixonei desta vez pelo meu melhor amigo e sem dúvida nenhuma marcou a minha vida pra sempre. Com ele apreendi matemática, física, química. Passei meus melhores momentos na praia, nas férias, vendo jogo de futebol, filmes, a me defender de gato ( morro de medo). E esse Senhor Miyagi não deve ter me ensinado a escrita japonesa porque não teve tempo. Porque, é mais fácil do que se imagina. Ela é composta por dois silabários Hiragana e Katakana e um grande número de ideogramas, chamados de Kanji.

Chega a fase Universidade, uma jornada fantástica onde você vive as melhores histórias. Solteiros, gente que namora….pessoas de todos os bairros, cidades e/ou bairros que dirá aqueles de outros países. Fase mais que transloucada, todo dia é um grande evento. Amigos de colégio, novos amigos de faculdade, todos colocando a armadura de ouro com os Cavaleiros do Zodíaco para participarem de vários torneios/eventos em qualquer hora do dia, noite e/ou madrugada e todo mundo compartilhando vitórias e derrotas.

E agora, os hormônios já começando a fazer efeito….tenho grandes amigos de todas as fases que permanecem até hoje como grande companheiros e novos adquiridos na fase adulta. Amigas com e sem filhos, que mesmo os pequenos exigindo uma rotina e regras, mantemos contato e claro, a amizade é isso, não nos tornarmos inacessível, com uma distância que jamais poderemos vir a encurtar.

AMIGOS, e como já houve o fim do movimento paz e amor preconizados por Yoko Ono e John Lennon, aproveitem que um dos temas da moda do inverno 2017 é o Japão e sejam ousadas, sem medo de errar.

thumb_p6040008_1024

Conselho de Yoko e John ” War is over “.

As japonesas abusam do estilo para se comunicarem e o vestuário é uma forma de manifestação. Exploram acessórios dos pés a cabeça. Adoram bolsas e arrasam no universo beleza. 

Amigos usem e abusem da tecnologia para se acessarem. A verdadeira amizade requer comprometimento/responsabilidade de ambas as partes. É uma delícia demonstrar bondade e interesse pessoal e eternizar todas as nossas emoções. E claro, antenados no que vem por aí para se apostar no inverno 2017 :

  • Jaqueta puffer, aquelas utilizadas para quem faz esporte na neve com ameixeira e cerejeira – flores símbolo japonês.
  • Moletom fashionista
  • Tom pastel, para aquelas que apostam em um visual grilei.
  • Sobreposição de vestido; gola alta.
  • Referências militares – mas esqueça o camuflado, a tendência é seguir com peças conceituais.
  • Look confortável – ” pijama”.
  • Estilo grunge, imortalizado pelo Nirvana mas repaginado e se tornando mais feminino.
  • Decote ombro a ombro.
  • Bota branca.
  • Tricô, veludo molhado, renda e listras

O importante, é valorizar estilo e corpo.  BANZAI 

Moda e as diferenças.

 

Oi, o post desta semana tem o objetivo de provocar o debate, saber opinião e quem sabe agregar pontos e até transformações.
Como descrito na minha apresentação, sou uma publicitária que estudou, trabalhou e adora moda e com isso tento pelo menos estar ligada ao cenário carioca que se julga moderno, invoca bandeiras a favor da liberdade sexual, empoderamento feminino, liberdade de expressão, sustentabilidade, ecologia, entre outros assuntos.
As grandes marcas se utilizam da ferramenta de branding para o desenvolvimento de estratégia, conceituação e planejamento que integra a imagem e discurso da empresa ao seu público, para alcançar uma posição única na mente do consumidor e consolidar uma relação que ultrapassa o ato de comprar.

Porém, sugiro o pensamento: o mundo fashion, que anseia diariamente o diferente e o original, mascara essa realidade? Afirma que gosto não se discute e que cada um tem o seu estilo, hasteia-se bandeiras de responsabilidade social, faz-se campanhas contra qualquer tipo de preconceito. O tema sustentabilidade tornou-se de uso comum. Porém, ao acalçar seus interesses econômicos, essas palavras são jogadas ao vento?

Pausa !

Bem, tenho uma tia surda/ deficiente auditiva, ela veio morar na minha casa quando eu tinha uns 4 anos e ficou tempo o suficiente para eu descobrir LIBRAS (língua de sinais utilizada pela maioria dos surdos brasileiros ) e conviver, perceber e entender o grande problema de exclusão social por razões diversas – características físicas, desigualdade financeira, social, idade, orientação sexual, portadores de deficiência.

E o que isso tem a ver com moda? Pra mim, muita coisa…. Marcas criam em torno de si um mundo de “encanto”, proponho um olhar para a moda com intuito de atualizar conceitos, ideias e realizar um reposicionamento.

Com tantas leis específicas para cada área, MODA está aberta a essa inclusão toda? Percebo que desde a procura de profissionais para trabalharem no quadro de colaboradores busca-se aqueles que se identificam com toda a atmosfera sugerida, uma vez que eles também compõem o dia a dia e são a verdadeira imagem da empresa, tornando-se vitrines inconscientemente. Ou seja, a principal crítica é o isolamento de pessoas, por serem diferentes ou não estarem de acordo com o perfil de padrão enaltecido pelos valores belo e ideal , têm como reflexo o preconceito, a discriminação e os hábitos de julgar e excluir.

Voltando ao caso da minha tia. Vocês acham que normalmente as vendedoras sejam de marcas renomadas e ou populares estão treinadas para atenderem pessoas com qualquer tipo de deficiência? Algumas já conseguem se portar melhor, mas a grande maioria não faz ideia que em 1981 a ONU ( Organização das Nações Unidas) criou um decreto onde pessoas portadoras de alguma necessidade especial são merecedoras dos mesmos direitos que os outros cidadãos.

Eu acredito que as diferenças enriquecem, que moda é arte e, como tal, não deveria ser entendida como uma simples roupa a ser vestida mas  sim utilizada como um manisfesto e que grifes assumam esse papel de igualdade.

clip_image004

Conselho da Primeira Miss Surda – Heather Whitestone: sinal em LIBRAS que quer dizer “EU TE AMO”

Por lei, existe uma cota para contratação de funcionários deficientes ou reabilitados pela Previdência Social.  Até 200 funcionários a empresa deve ter no quadro 2%. Entre 201 a 500 3%; 501 a 1000 4% e mais de 1000 5%. Isso está sendo cumprido? Não sei….torço para que sim e que as pessoas se cooperem pela inclusão social. Lembre-se que diante dos olhos de portador de deficiência também somos diferentes, e acrescentar valore morais, respeito ao próximo no dia a dia nunca é demais. Oportunidades iguais diante da vida para todos.