INFLUENCIA O QUE ??

Por favor, me tirem daqui….que saudade do tempo que o celular era apenas para dizer alô e no máximo uma mensagem bem curtinha. Escravos dos smartphones e presos ao mundo das redes sociais.

Mas até que ponto o ser humano pode distinguir o uso consciente?

PAUSA: Imagino que vocês estejam se perguntando se eu virei uma pessoa ingrata? Justo eu, que trabalho com isso. Por isso que dedico esse texto aos meus pensamentos….(risos).

Gosto bastante de redes sociais, mas eu venho me limitando para passar o menor tempo possível. Não critico quem posta tudo e toda hora. O importante é termos em mente que somos muito mais do que postamos – somos dúvidas e certezas.

Eu quero fugir da escravidão virtual, a que ponto chegamos !!!! Não aguento mais fotos, stories, lives. Chega desta satisfação da vida para o mundo….Como é sofrível, ter que gerar conteúdo diário e de alto valor e ainda manter relacionamento com pessoas influentes … aff! E não pode esquecer que a postagem também deve ser realizada no momento ideal, tem que ficar de olho no horário de pico para gerar engajamento.

Meu Deus !!!! Mundo digital cruel. Ficar conectado, antenado, ligado para qualquer assunto virou algo imprescindível. E transformar suas postagens em algo interessante? Puta que pariu ( desculpe o palavrão). Olha eu aqui, sem assunto (risos) e me vendo obrigada a postar para fidelizar meus leitores.

Alto lá, quem acha que estou execrando as redes sociais. Estou apenas insistindo que na preservação da imagem ou aflição por retorno/interação. Também não é ser mais um na multidão e ficar quieto. Pessoas na rede social buscam interação.

Me dedico a rede social dentro do cenário/tempo que é viável pra mim ( normalmente durante o caminho para agência e casa). Escrever diariamente é muito complexo. Mas tenho meus mecanismos de criação. Envio temas durante os dias, semanas….por e-mail e daí começo a minha pesquisa e desenvolvimento.

Não estudo as mudanças da internet. Confesso que é uma vergonha trabalhar com digital e não ter tempo para organizar as ferramentas de divulgação do blog. Mas faço muito mais para escrever do que buscar engajamento.

Longe de mim querer ser uma digital influencers – aquelas pessoas que por algum motivo conquistam um público fiel na internet ( via youtube ou redes sociais). Particularmente eu acho essa “ profissão do momento” desesperadora. Uma pessoa que, sabe lá Deus por qual motivo é admirada ( seu público diria: pelo conteúdo que ela produz. Aff!! ), consegue um grupo de fãs dentro do seu nicho exerce influência, respeito, audiência e a grande maioria vive no anonimato.

Diariamente eu fico questionando o poder de um influenciador. E pior que cheguei a conclusão que não devo subestimar o poder deles. Não sei se é porque a divulgação dele surge em um contexto mais espontâneo e estabelece uma relação de confiança, ao contrário de uma peça publicitária.

Pessoas são grandes produtoras e consumidoras de conteúdo. Sou super a favor de tirar fotos para guardar momentos que vão eternizar na memória. Mas aproveite a vida e esqueça o bendito celular. Compartilhe o que for positivo, seja mais amor, mais favor, calor, abraço …comente menos, reduza sua ansiedade e o nível “stalkeadas “ . Eeeeei, existe uma pessoa real que é dona deste FB.

Vira paranoia essa loucura por mensurar os resultados da postagem. Deixa isso para empresas que precisam comprovar o ROI das estratégias aplicadas. Dedique seu tempo real para viver e não fique tirando conclusões dos comentários ou a falta deles. Faça uso do barzinho que assim você consegue acompanhar o crescimento dos seguidores, fazer campanha boca a boca e ai sim, quem sabe você não conquista novos clientes, ou seus contatos virtuais ganham voz ?

Quanto mais encontros reais, mais condições você terá para conquistar efetivamente e estreitar o relacionamento.

Eu vou de sainha…

Verão chegou, tá na hora da mulherada deixar as pernas a mostra e deixar o visual sensual ( e sem ser vulgar). E não tem jeito, a mini saia faz sucesso. Regra básica, se mostrar de mais uma parte do corpo, oculte a outra. Assim, não tem como errar na escolha desta peça.

Pra quem gosta de ousar uma ótima dica é a mini saia. Criada nos anos 60 foi uma grande protagonista dos looks femininos e virou um símbolo da liberdade das mulheres – movimento que teve como pilares a invenção da pílula anticoncepcional e a consequente revolução sexual.

Eu uso e abuso. Essa é a vantagem de ser baixinha. Pode usar com blazer para um look elegante, camisetas despojadas…blusinhas compridas. Eu sempre penso no sapato que diga muito sobre a proposta.

Mas não adianta, saia está no grupo de peças essenciais do armário de uma mulher. Toda mulher tem pelo menos um modelo no armário. E no verão elas são super versáteis para diversos ambientes desde os mais formais até os mais casuais.

E na estação paz e amor, podemos transitar com saias estampadas, listradas, poás, tropicais…tons suaves, delicados. O Jeans? Aliado da mini, hoje em dia aparece em todos os modelos.

Para o dia a dia, o sucesso vai para as mídi que tem um comprimento ideal e fica uma gracinha para look romântica. E aquelas que curtem uma plissada, noooossaaa!!! Fica lindo para noite. Eu odiava, confesso….até que caiu no meu gosto.

E saia longa? Fica bem para qualquer ocasião. E não tem essa que baixinha não pode usar. Eu amo e uso o ano todo com tênis, sapatinha ou rasteirinha e camiseta básica. Fica um ar jovial e moderno. e sexy quando aparecem com fendas.

Já que estou levantando a bola das baixinhas, mais uma dica: saia reta da impressão de alongamento. Tenho algumas estilo lápis que são clássicas, ficam elegantes e bem charmosas.

Mas hoje em dia, eu uso saia pra baixo e pra cima, mas passei alguns anos com um cara louco, inseguro que saia era motivo para uma briga. Não me orgulho em dizer que alguém teve esse ciúmes doentio. Pelo contrário, que papelão !!!

E por medidas de segurança e evitar a extinção da saia se você possui um namorado nessa situação compartilhe a notícia por que é caso se utilidade pública.

Explica com jeitinho para o machista que este senso de autoridade não está com nada. E para ele se tratar é só fazer horas de meditação repetindo o mantra “ninguém é de ninguém”.

E se vossa majestade insistir em tamanha insegurança: desculpa ! Não somos obrigadas. Bom senso, respeitar a individualidade, são quesitos importantes. E nós mulheres temos uma imagem social estabelecida, hábitos de se vestir antes desta figura encantadora, né?

Ei cara !!! Não justificando a cultura local, mas aqui não é a Arábia Saudita que uma mulher pode ser presa por usar uma saia logo acima do joelho. Eles consideram falta de respeito. Em países mais rigorosos com comportamento feminino é necessário homem como guarda costas.

filme_15429

Aplausos para “Nunca se apaixone ” no cartaz do filme. 

Julgar uma mulher pela roupa que ela está usando é algo tóxico. Aos homens, um chazinho diário de inteligência para entender e respeitar a maneira de se vestir de sua companheira e aceitar que por qualquer que seja sua roupa, no fim, será sempre você o único a tirá-la.

Um blog para Cartagena

A minha viagem para Cartagena – Colômbia começou em agosto deste ano quando uma amiga sugeriu passarmos meu aniversário de 40 anos lá. Topei e, logo em seguida, mais duas se animaram e na véspera outra grande amiga integrou-se ao grupo.

Criamos um grupo no whatsapp para planejarmos tudo: hospedagem, transporte, passeios, e orçamentos. Neste momento começamos o exercício do ser flexível para conciliar. Viajar em grupo é isso, diferentes objetivos e expectativas sendo equilibrados para se manter a harmonia do grupo.

Obs: para viajar em grupo tem que ter sempre muita paciência, bom senso, educação e respeito. Pode rolar a maior afinidade, mas pessoas tem humores e personalidades diferentes.

Pra mim essa experiência de grupo foi sensacional. Eu confesso que essa prática – viajar em grupo já havia abandonado fazia um bom tempo. Tive uma péssima experiência faz uns 4 anos que me custou o fim de uma amizade de 15 anos…..

Mas coloquei meu medo de lado e apostei na chance de estar ao lado de amigas comemorando um momento bastante especial: meus 40anos !!! Coloquei em prática a famosa cumplicidade feminina: sonhar juntas cada momento.

No início da viagem descobrimos juntas que a nossa cia aérea estava em greve e com isso os voos estavam atrasando. Não seria isso que ia atrapalhar, mulheres juntas vale mais do que qualquer terapia, levamos praticamente um dia inteiro fazendo Rio de Janeiro, Bogotá e Cartagena. ou seja, um dia inteiro para rir, falar bobagens, dividir alegrias e a ansiedade de chegar no destino final.

maria-v-henao-portada

Maria Victoria Henao, esposa de Pablo Escobar

Finalmente chegamos a Cartagena das Índias faltando alguns minutos para meus tão esperados 40 anos. Lugar quente, mas estava bem longe de ser o inferno do Rio de Janeiro durante o verão. Do check in no hotel fomos direto para um bar brindar a tudo, por que estávamos exaustas. Mais uma descoberta – não se pode sair do estabelecimento com bebidas alcoólicas mesmo consumindo em copos de plástico, garrafas long neck ou latinhas. Se a polícia te pegar, bye bye ….

Ficamos em um dos bairros mais populares – Getsemaní. Cheio de hosteis, pubs, uma gracinha de lugar e fica muito pertinho da famosa Cidade Amuralhada. Bairro boêmio, vi prostituição, venda de drogas, mas no geral um lugar amigável.

Como não havíamos fechado absolutamente nada de passeio para as encantadoras praias, no dia seguinte, fomos para a famosa Cidade Amuralhada. Da nossa pousada até a muralha já dava para perceber que a cidade fica fervilhando de pessoas indo para o trabalho, o trânsito é intenso e os colombianos ADORAM uma buzina.

Encantadora, colorida, tínhamos informações sobre vários pontos interessantes, mas não sabíamos o principal: seriamos abordadas por uma multidão de AMBULANTES. Chega ser engraçado….depois vira meme. Eles são educados, isso é um ponto importante, em qualquer lugar que você chegue será recebido com um “ bom dia, boa tarde ou boa noite.”

E não adianta, é muito comum eles tratarem pessoas desconhecidas com “ mi amor, mi vida e corazon .” No começo dava vontade de soltar um “vem cá, eu te conheço?”. Mas é uma questão cultural mesmo. Sem estresse.

Todo mundo já deve ter ouvido que Cartagena é o Caribe colombiano. Não é beeeeeeem assim. Ir em busca do azul caribenho pode ser decepcionante. A grande vedete é o bairro Bocagrande, onde fica a parte moderna da cidade e a praia de areia escura, lembra muito Santos. E como tem pelicano boiando na beirinha. Deus me livre !!! Não me aventurei ….

Não deixe isso te desanimar. Vá com a mente aberta pra viver a cidade e também para conhecer as praias de Cartagena. Só saiba aceitá-las da forma como elas são!

Fomos as famosas Islas del Rosario, del Encantado e a Playa Blanca de Baru. Somente na última Playa Blanca que encontramos o mar com a tonalidade azul e areia branquinha. No geral, em todos os passeios temos poucas opções de alimentação ( embora garantam que o almoço será ótimo), os ambulantes são constantes. Na Playa Blanca então, as barracas são improvisadas, é decepcionante.

É muito difícil ver colombianos usando roupa de banho para entrar no mar. Encontramos até um casal bem curioso: ele de camisa polo e ela de sutiã entrando no mar e ambos de short e tênis. Não há nenhum problema em usar biquini, só não parece ser um costume local.

Pausa sobre o local. A regra do grupo era, cada um pode e DEVE fazer o que estava com vontade. Então, mesmo que sugerido alguns lugares no roteiro, nem todos os lugares foram unânimes. Mas como a regra foi acertada logo no início, não havia motivos para desavenças.

Mas acho importante haver essa liberdade e dito isso, Café Del Mar grupo separado, mas consegui ver o pôr do sol, brindando e o local é uma gracinha. Só abre as 17h, chegamos cedo e garantimos uma vista privilegiada.

Na Night, estamos acostumados a ter festa até depois da meia noite. Em Cartagena, a noite tem hora para acabar: 00h sexta e sábado e dias de semana 23h. Sempre com muita música e a grande maioria das pessoas sentada conversando.

Cartagena tem um clima animado, homens e mulheres com roupas coloridas. Nos deparamos com costumes bem peculiares: dois ou três restaurantes não deram faca alegando que não havia no estabelecimento e notamos dois funcionários da nossa pousada almoçando/jantando com as mão ( com luvas). Em todos os passeios as opções são pescado ou frango acompanhado com salada, arroz de coco e patacones. Infelizmente, todos os almoços nos passeios são estilo refeitório, todo mundo lado a lado.

Optamos por um restaurante muito bem recomendado nos blogs – La Vitrola. Nossa ! um fiasco. Estragaram o meu ceviche de camarão colocando molho barbecue. Mas são os costumes….Bebidas alcoólicas no geral não são caras, mas é difícil encontrar cerveja gelada. Minha opção foi Gim Tônica com bastante gelo. Indico um bar chamado DEMENTE localizado no bairro Getsemaní.

No geral? Lugal bem preservado, com uma energia vibrante, museus, mirantes, bares, e restaurantes. E como em qualquer parte do mundo, quando se muda de pais nos deparamos com coisas que podem parecer diferentes.

Valeu mais uma vez pra mim, não sei pelo grupo, estar disposta a compartilhar a cultura local. Valeu pra mim a experiência de estar em grupo, dividir os momentos, ser flexível e compreensiva. Perrengues e situações inesperadas acontecem, o ideal é sair delas com bom humor. Dei muita risada, fofoquei, dancei, experimentei doces, salgados. Ganhei um presente lindo de uma amiga.

Peguei chuva e lá alaga tudo, tem que levar botinha ( risos). Acho que é isso, a parte bacana de viajar com amigas é a sensação de liberdade e a impressão de se colocar parênteses na rotina e tudo se torna engraçado.

Enfim Chegou…

Escrevi esse texto há exatos 18 dias antes de completar meus 40 anos. Quem me conhece sabe que eu adoro o dia do meu aniversário. Esse ano, sendo uma data marcante, comemorei em grande estilo – viajando com algumas amigas.

O grande lance é: o que esses 40 anos representam? Muito estranho, não me sinto nem jovem e muito menos velha. Então, onde eu estou? Queria impedir esse envelhecimento, mas não me dei conta de que eu já não venho sendo tão jovem faz tempo.

Bonita, inteligente, independente…Mas esqueci de bater as metas impostas pela sociedade para alguém nessa idade:

  • O amor da minha vida não apareceu antes dos 30. Aquilo que aconteceu foi alarme falso.
  • Não fui mãe.
  • Não juntei meu primeiro milhão. Essa por pura fanfarrice em curtir sem haver amanhã.
  • Escrever um livro??? Aaaaah tenho histórias para uma coleção inteira.
  • Plantar árvore??? Vale pé de feijão no algodão?

Talvez por que os meus planos sejam outros e eu não tô preocupada com prazo. Sonho em poder viajar cada vez mais, apreender coisas novas.

O amor da minha vida eu podia conhecer em um lugar totalmente fora de qualquer roteiro.

Eu posso ser mãe daqui a 9 meses ou mesmo depois de atravessar a tal menopausa, basta ter muito amor e carinho para compartilhar com alguma criança que eu possa adotar.

Eu quero viver muito e Deus vai me permitir. Foi mal, mas não foi em 2017, justo quando completo 40 anos que deu para cumprir a lista. A minha vida tomou rumos diferentes e alguns desejos foram realizados, outros tiveram que ser substituídos.

Talvez, eu possa retomar a lista no dia seguinte do meu aniversário ou dobrar e definir que devo mudar o tom do meu cabelo.

Então vamos lá UNIVERSO, colabore com a quarentona aqui:

1. Pra que essa burocracia de estado civil em qualquer cadastro? Que peso e frio na espinha que dá ao preencher.

2. Eu tenho que ter meta e foco para tudo? Vou sempre arrumar novos sonhos e planos. Aliais, ninguém vai me dizer o que sonhar.

3. Sabe aquela história que a mulher de 20 perde sorrindo um quilo extra? A de 40 perderá chorando esse mesmo quilo em 4 meses. Então, exercício físico tem que ser um companheiro inseparável.

4. Mulher passa a vida inteira vivendo para a família, trabalho, sociedade e, na idade da loba, nada será diferente só vou acrescentar mais um item: eu.

5. Enxugar os excessos – coisas acumuladas em casa, “ amizades”, crenças, medos….

6. Ousadia. Prometi a mim apreender a jogar vôlei.

7. Vou priorizar, sem me sentir egoísta, com objetivo de me respeitar ainda mais, evitar qualquer tipo de relação tóxica.

Nada de falta de sentido na vida…É assustador estar próximo a essa idade…. 40 anos é a idade de poder escolher tudo com a maior liberdade. Tem que se responsabilizar sobre as escolhas até onde chegou para seguir. E pra ser feliz, nada como hábitos físico e mental saudáveis.

Com certeza no dia seguinte do meu aniversário, percebi que não doeu nada ! Pelo contrário, estou me sentindo ótima.

Amor Platônico

Que saudade dos amores de adolescência que duravam pouco mas pareciam para sempre. Nossa, uma dor amor que quando se sentia parecia que ia morrer. Ai a gente se dá conta que os anos passaram, que continuamos vivos e com a vida corrida esquecemos de todos os amores, fossem eles platônicos ou não. Os príncipes encantados ficaram nos contos de fadas.

Até que, nos encontramos com o passado e novamente dá aquele frio na barriga e a pessoa faz você perder o fôlego. Ai você concentra no seu grilo falante interno “ vocês são somente amigos”.

Começa dar uma angustia e os encontros viram frequentes. Você faz uma esforço para não voltar a sonhar com príncipe encantado e cavalo branco e largar a sua vida estável.

“Me apaixonei do mesmo jeito que alguém cai no sono: gradativamente e de repente, de uma hora para outra” (John Green – A Culpa é das estrelas)

Ao te encontrar, logo percebi que você seria importante. Ficaria vulnerável, com a guarda baixa e permitindo que os caminhos para o meu coração estivessem livres. Fui ingênua ao ponto de achar que tivesse tempo para recuar.

Alguém me pergunta: quando surgiu isso tudo? Sei la, pra falar a verdade nem dava muita atenção. E não sei também quando você se tornou o meu último pensamento. E nem qual o motivo pelo qual estar se tornando um personagem dos meus textos.

amor snoopy

Totalmente desesperançosa, você chega. E é engraçado e ao mesmo tempo gostoso quando o coração acelera e a cabeça fica nas nuvens.

Ai você começa a querer brincar de conquistar, e se quer o outros de todos os jeitos, sem motivos e sem razão. Se lá, se temos algo a ver. Me apaixonei pelo seu sorriso, sua voz, cheiro …silêncio.

Querem saber o nome dele? Amor platônico.

Ele não é nada bonitinho. E todo mundo acha que só se vive esse sentimento na adolescência. Pior que ele pode aparecer em todas as faixas de idade. Basta a gente começar um processo de admiração ao ponto de colocar a pessoa amada em um pedestal, idolatrando e sonhando. Ai, você entra em um ciclo sem encarrar os desafios da vida real. Ilusões são criadas que ficam próximas da realidade.

Isso é um relato de quem já viveu alguns e não se dava conta. Me interessei muito por pessoas inalcançáveis e com certeza, dizia pra mim mesma que não podia estar em outra relação quando algum pretendente real queria uma relação.

Motivo de tamanha loucura? No meu caso….simplesmente para não ter uma relação real. Proteção para não sofrer e/ou viver intensamente a minha liberdade. A quem diga que é a melhor maneira de dar tempo ao tempo.

Mas isso tudo tinha que acabar, ser descartado porque não completa. O mundo real existe com possibilidades infinitas. Não é dura e nem cruel, é apenas real. É bom colocar os pés no chão e encarar a felicidade.

O cupido está errando o endereço? Investe e ajuda com GPS. As vezes pode não dar frio na barriga, não ter sorriso derretido, mas as relações reais seguem de alguma forma.

Temos o hábito de vincularmos nossos sentimentos às expectativas que temos do outro. O outro, está do lado de fora e não nos pertence, as relações são construídas a partir da troca.

P.S: Love u

Pegar no Pé

Em pleno 2017, você, uma mulher independente, bem resolvida, vai ficar mesmo pegando no pé de homem? ( peguete, ficante, namorado, namorido, noivo, marido, amante….como você quiser chamar.

Cafona, ficar perseguindo, grudar. Nossa ! Cada um tem a sua vida, cheia de coisas para serem feitas, sabia? E Limite, né? É uma para palavra que pode ter definições diferentes para cada um.

Já estive em um relacionamento com uma pessoa pegajosa, ciumenta, possessiva. A coisa era tão doente, que se eu deixasse de atender no segundo toque do celular era o fim dos tempos. Como eu consegui isso??? Olha, acho que no começo a gente acaba achando grude fofo. Depois, ter que ficar respondendo onde está, que horas vai voltar, quando você mal chegou na casa da sua melhor amiga, vira paranoia.

Putz!!! Me sentia como se ele tivesse invadindo aquele programa. E a sensação de alguém estar seguindo seus passos? Controle é uma palavra que, pra mim, deveria ser abolida do universo.

Não estou querendo que relações terminem mas, acho que tolerar, dar um refresco é importante. Sei que, as vezes, nossos turbilhoes de hormônios resolvem correr pelas veias , destruir nosso bom senso e nos transformar em verdadeiros monstros chatos e pegamos no pé.

Mas tem que ficar atenta, sem pressão, escândalos e barracos. Isso é um inferno. Ficou desconfortável, insegura com alguma situação, bate um papo. Homens não conseguem adivinhar nossos pensamentos.

Sabe o que cai super bem para pegar no pé? Tênis. Esse sim, eu uso e abuso do limite de usar. Em todos os lugares, vários looks. Pra mim, não existe lugar que um tênis não possa ir.

Aquela mulher independente, descolada e confiante deve sim, “ pegar” carona no estilo despojado. Dê personalidade ao seu dia a dia. Limite e controle são duas palavras desconhecidas para essa tendência.

Combinam com tudo e eu acho que dá um humor na circunstância. Além de mega confortáveis. Está com dúvidas? Existem várias blogueiras com ótimas sugestões de combinações fashion para se inspirarem.

Convencida que fora tênis, pegar no pé é uma chateação? Como vovó dizia, ficar no pé 24h por dia não adianta nada. Vamos impressionar com personalidade própria. Esquecer que tênis está relacionado ao mundo fitness e criar looks cheios de estilo.

Eu sei, que compromisso não é tarefa fácil e que abrir mão dos prazeres da vida de solteiro é beeeem complicado. Mas a pior maneira, é ficar cobrando passo a passo. Deixa o sujeito tomar a cerveja dele e tome a sua. Rolou uma situação exagerada? Conversa. E o papel de censura? Lição de moral? Pelo AMOOOOR, controla a ansiedade. E o último: caras e bocas, não fique cercando os movimentos do outro.

Voltando a minha experiência? Perdia a leveza da ocasião e tinha que deixar de aproveitar o momento para prestar atenção no que o fulaninho queria dizer com tantos olhares.

Vai lá, calça o tênis e transite por ai, renuncie o controle.

Bing, Bing, Bing… Coelho Ricochete

 

Nem precisei ter o furgão do Fred e andar com Salchicha e Scooby desvendar mais um momento da moda. Dei uma voltinha no shopping por esses dias e como está intenso essa coisa de usar acessório, camiseta, moletom e agora sapato do seu personagem de desenho animado favorito.

Imagina em pleno 2017, Os Herculóides desfilando pelo Rio de Janeiro? Eu com certeza optaria por um desenho da Hanna e Barbera, que dominou por muito tempo a programação infantil e influenciou muito a minha vida após o retorno do colégio.

As famílias dos Jetsons e Flintstones, com conflitos peculiares aos seus períodos e as encrencas dos atrapalhados “ chefes da família” – George e Fred, com seus chefes – Sr. Spacely e Sr. Bedrock.

Seja lá qual for, pode ser que você fique tentada a comprar um deles, mas pelo AMOR, cuidado para não ficar infantil demais ou carnavalesco.

Não estou dizendo que tem que sair nas ruas como uma tartaruga espadachim que tem como seu melhor amigo um cachorro com lenço e chapéu vermelho. Nem criar e andar em grupo como os Cavaleiros da Arábia. Não pense em ser o Príncipe Turan e liderar um perfil.

Eu sou super a favor de criatividade. Por isso Wally Gator, que vivia tentando fugir do zoológico, nunca desistiu de ousar. Mesmo com o Sr. Twiddles prezando pela ordem.

Olho-Vivo e Faro-Fino !!!

Modice ou não, mas tem gente usando as camisas com blazer, casaco e calças de alfaiataria. Aposte em acessórios mais pesados ou maquiagem mais clássica que o look perde o ar boboca e se torna uma gata charmosa como Manda- Chuva.

Saia plissada, cintura alta, sapatos coloridos que combinem com um detalhe do personagem, também fica bastante divertido e mistura o que é “mocinha” com “moleca”.

Seja moderna. Não que tenha que virar Space Ghost parar viver em uma galáxia distante. Dá para atravessar o dia a dia sem ter que enfrentar Zorak. Pode combinar seu personagem com uma pegada street também. Aproveita o momento feliz para fugir das regras e se arriscar como Jonny Quest, que não teve medo de encarar índios selvagens, crocodilos, múmia, remar numa canoa…

Ah, você está meio Zé Colméia, roubou muitas cestinhas e, infelizmente, não teve nenhum “Guarda”para policiar? Ou passou muito tempo sentado como Maguila, o gorila? Não adianta fazer o Hardy e falar “ oh dia, oh azar”. Joga a juba do Lippy e saía pela esquerda – não desista desta aposta.

Fuja da Esquadrilha Abutre da sua vida, eles sempre estão dificultando as ousadias e/ou estão prontos para dar uma risadinha sinistra de Mutley.

Penelope Charmosa (3)

1….2….3….4 e vai lá triônica, Formiga Atômica. Corrida Maluca para adquirir seu personagem – Penélope Charmosa é uma gracinha.